domingo, 3 de junho de 2018

CCXC 2ª Et. Vicente Francimar

 Circuito Cearense de Xadrez Clássico 2018
2ª ETAPA

Torneio Vicente Francimar
31/maio e 1, 2 e 3 de junho de 2018

A Federação Cearense de Xadrez - FCX - realizou a segunda etapa do circuito cearense de xadrez clássico, disputado pelo Sistema Suíço, com auxílio do Programa Swiss Manager, em 6 rodadas, com o ritmo de 1h com acréscimo de 30 segundos por lance, 90 minutos nocaute com o relógio analógico.


Para participar do circuito todos os jogadores deverão estar cadastrados na CBX e em dia com a anuidade CBX 2018. Na direção da competição estava Licínio C. R. Corrêa e na arbitragem Cláudia Aquino. 

O Torneio foi disputado no Círculo Militar, em Fortaleza-CE, nos dias 31 de maio e 01, 02, 03 de junho de 2018, com o objetivo de promover o intercâmbio e movimentação do Rating nacional CBX, além de ofertar uma vaga para a Final do Cearense Absoluto 2018, concorreram 29 enxadristas.


Os critérios de desempate, por ordem de utilização: 1º Confronto Direto, 2º Buchholz com corte do pior resultado, 3º Buchholz Total, 4º Sonneborn-Berger e 5º Maior Número de vitórias

CLASSIFICAÇÃO FINAL


1º NM Mário Correia (Portugal) (2119) 5,0

2º João Bosco Filgueira 4,5 (215)

3º Igor Palácio (2133) 4,5 (190)

4º Brandão Marcius (2081) 4,5 (185)

5º Marcos Freitas (1985) 4,5 (160)

6º Wellington Albuquerque (2199) 4,0 (180/210)

7º Alan Elkinson (2025) 4,0 (180/195)
8º João Marcus Brandão(1861) 3,5 (185)
9º Mauricio Moreira Rocancourt (1907) 3,5 (180)

10º Jhone Leone (2007) 3,5 (150)

11º Jammes William (1942) 3,5 (145)

12º José Maciel Lustosa (1760) 3,0 (185)

13º Antônio Stenio Lima (1930) 3,0 (175)

14º George Bandeira (1823) 3,0 (165)

15º Moézio Nunes (1819) 3,0 (145)

16º Luiz Jadir Farias (1635) 3,0 (115)

17º Carlos Alberto Coelho (1765) 2,5 (200)

18º Sérgio Simonetti (1845) 2,5 (185)

19º Irineu Paixão (1807) 2,5 (175)

20º Aristóteles Rodrigues (1742) 2,5 (155)

21º Virgínio Aleixo (1617) 2,5 (115)

22º Marina Miranda (1818) 2,0 (170)

23º Nilo Fernandes (1790) 2,0 (150)

24º Murilo Vernillo (1741) 2,0 (135)

25º Álvaro Laroca (1608) 2,0 (125)

26º Caio César Miranda (1776) 1,5

27º Gabriel Nunes Vacis (1614) 1,0 (140)

28º Fco. Sérgio Vieira (1685) 1,0 (130)

29º Francisco Iran (1877) 0,0

Pôr do Sol
Beira Mar, Fortaleza-CE


segunda-feira, 7 de maio de 2018

ABERTO DO CEARÁ

 CIRCUITO CEARENSE DE XADREZ RÁPIDO
CCXR - 2018
ABERTO DO CEARÁ - ANCMA
Associação Nossa Casa Mãe África
01 de maio de 2018

A competição foi realizada no feriado do Dia do Trabalho na Associação Nossa Casa Mãe África, localizada na Granja Lisboa, na capital cearense, com a participação de 43 enxadristas. Além de troféus e medalhas foram distribuídos R$ 1.000,00 em premiação.


VITÓRIA DE
Leone Moreno

Classificação final

1º Leone Moreno Lucas 5,5
2º Mario Correia 5,0 (235|18.5|155)
3º Renan Braz Parente 5,0 (235|18.5|15.0)
4º Leonidio Malta Lira 5,0 (185)
5º Antonio Gerson Garcia 5,0 (180)
6º Marcius Gomes Brandao 4,0 (250)
7º Roberto Melo dos Santos 4,0 (245)
8º Jose Claudio de Araujo 4,0 (225|16.0)
9º Jammes Willian Carmo 4,0 (225|14.0)
10º Paulo Henrique Ribeiro 4,0 (210|16.0)
11º Paulo Sergio Lima 4,0 (210|14.0)
12º Alvilane Pereira 4,0 (190)
13º Diego Oliveira Pereira 4,0 (185)
14º Jose Wanderley Silveira 4,0 (165)
15º Jorgemberg Costa Marques 4,0 (150)
16º Mauricio Rocancourt Moreira 3,5
17º Eliel Malta Lira 3,0 (215)
18º Jhone Leone De Souza 3,0 (205)
19º Jose Wilker Da Silva 3,0 (190)
20º Daniel Paiva De Sousa 3,0 (185|13.0)
21º Raimundo Aires Queiroz 3,0 (185|12.0)
22º Fco. Sergio Vieira Costa 3,0 (185|8.0)
23º Joao Marcus Brandão 3,0 (170)
24º Antonio Gabriel Rodrigues 3,0 (160|11.0)
25º Felipe Facó 3,0 (160|9.0)
26º Fco. Bernardino Lopes 3,0 (155)
27º Jonathas Mendes de Lima 3,0 (145)
28º Moezio Correia Nunes 2,5 (205)
29º Silas de Freitas Saraiva 2,5 (195)
30º Felipe Nascimento da Silva 2,5 (140)
31º Fco. Gabriel da Costa Pereira 2,0 (180)
32º Jorge Pereira da Costa 2,0 (170|9.0|115)
33º Lara Evilyn Teixeira da Silva 2,0 (170|9.0|110)
34º Gledyson Moreira do Nascimento 2,0 (170|8.0|115)
35º Samuel Rodrigues dos Santos 2,0 (170|8.0|110)
36º Antonio Micaias Silva De Sousa 2,0 (160|7.0)
37º Levi Igor Teixeira da Silva 2,0 (160|5.0)
38º Jonathan Sousa da Silva 2,0 (145)
39º Antonia Laura Nobre de Moraes 2,0 (140)
40º Pedro Emerson Vieira Bastos 1,5
41º Antonio Jocelio Freitas Araujo 1,0 (165)
42º Pedro Vitor Carvalho de Melo 1,0 (145)
43º Bryan William da Costa Lima 1,0 (130)



segunda-feira, 30 de abril de 2018

ALTAS HABILIDADES EM FORTALEZA

 
2º ENCONTRO DO XADREZ
FORTALEZA-CE

20 de abril de 2018

ESCOLA ESPAÇO VIDA
Profº Cleando Cortez

PROJETO SEI
Sistema Espaço-Vida Inteligente 

 O xadrez é um esporte
que desenvolve:

O raciocínio lógico

O raciocínio abstrato 

A capacidade analítica

A criatividade para resolver problemas

A habilidade para tomar decisões.

Aprender a ganhar ou perder 

Aprender a respeitar o adversário e as regras 

A parte social da vida do estudante
também é desenvolvida 

Cria novas amizades em um ambiente
de aprendizado diferente.

A memória e concentração
também são aspectos trabalhados 

A atividade possibilita a inclusão de todos

 O aspecto mais importante é que a evolução no xadrez
se dá pelo esforço, estudo e dedicação

 O trabalho duro ajuda muito na autoestima da criança,
afinal ela acaba percebendo que é capaz de superar obstáculos

A participação dos alunos, o debate, a conexão
com outras disciplinas
e analogias com o cotidiano

 É uma aula em que se busca o aprender pelo aprender

 É teórica e prática, desenvolvendo o conteúdo 

Métodos dinâmicos e divertidos dentro do jogo 

Uma atividade tradicional e intelectual  

Basta terem a oportunidade de conhecer o jogo 

O xadrez é uma ferramenta para ajudar
a formar o caráter da criança

Desenvolver diversas habilidades

 Os estudantes que participam aguardam
animados para uma nova partida 



integrar os alunos

sábado, 28 de abril de 2018

Um clube de xadrez em Iguatu

O CLUBE CAPABLANCA DE XADREZ

Por Pereira Oliveira

Iguatu-CE

O Clube Capablanca de Xadrez nascido de um feliz iniciativa do Dr. Humberto de Gouvêa Soares e Honório Augusto Machado aglomerou por um bom tempo, em Iguatu, no idos de 1960, os aficionados da Arte de Caissa, dando oportunidade a que fizessem bem sucedidas incursões pelo mundo dos trebelhos. Foram membros efetivos do Clube, na época, o médico Dr. Humberto de Gouveia Soares, Honório Augusto Machado, Milton Monteiro Gondim, Assis Pereira, este modesto cronista e outras pessoas cujo nome o tempo apagou em minha desgastada memória. O clube teve vida efêmera. Não deu tempo a difundir o xadrez, como era o firme propósito de seus dirigentes, mas deu bons frutos, formou bons enxadristas.

O estudo do xadrez tornou-se um constante na vida dos membros do clube. Não raro eram vistos debruçados sobre a variada literatura sobre o assunto, ou com um tabuleiro e peças debaixo do braço a procura de parceiros dispostos a um joguinho. Esse estudo era avaliado com frequência, por meio de partidas disputadas em espaço reservado nos clubes sociais, na própria residência dos enxadristas, ou por correspondência.
Ronald Câmara
Visando projetar o clube, seus dirigentes decidiram promover um torneio especial com a participação dos campeões brasileiros José Pinto Paiva, baiano, e Ronald Câmara cearense, e da Tricampeã Feminina Sul-Americana, Ruth Cardoso, baiana, hoje falecida. Para realização do evento o clube contou com o patrocínio do empresário de Orós, Eliseu Batista Rolim, de saudosa memória, que custeou entre outras despesas, as passagens de avião dos convidados, assim como, com a ajuda valiosa da Cia. Industrial de Algodão e Óleos, empresa local que cedeu uma casa de sua vila para hospedagem condigna dos convidados.

O Torneio teve lugar no salão nobre da Biblioteca Municipal, com a presença do Prefeito, o médico Dr. Manoel Carlos de Gouvêa, do Bispo Diocesano, Dom José Mauro Ramalho de Alarcon e Santiago e de outras autoridades de destaque da cidade. Coube ao Dr. Carlos de Gouvêa fazer o lance inicial, avançando o peão em um dos tabuleiros dos pares do certame. A performance dos enxadristas locais, naturalmente, não era lá essas coisas, comparada com a atuação dos visitantes, mas nenhum deles era um “capivara”, um principiante. Todos tinham a qualificação exigida para a participação no memorável confronto.

O desenrolar das partidas transcorreu num clima de franca harmonia esportiva, donde ressaltar o respeito dos enxadristas convidados pelos concorrentes locais que, por sua vez, corresponderam ao gesto de elegância, observando disciplinarmente todas a regras do jogo, inclusive a de deitar o rei e estender cavalheirescamente a mão ao vencedor, ao perceberem que a derrota estava à poucos lances.

Terminado o evento os anfitriões cuidaram de dispensar toda a atenção possível aos convidados a fim de que se sentissem em casa, nessa encantadora porção ribeirinha do velho Jaguaribe. pondo-lhes a par dos costumes e da cultura cearense, até mesmo do espírito irreverente e brincalhão do “Ceará Moleque”.

Desse último detalhe os visitantes tomaram conhecimento por duas vezes, a primeira numa determinada reunião, quando aproveitando o momento de descontração, despachadamente pedi a Dona Ruth, Cardoso, baiana de Salvador que falasse das belezas de sua terra, do Senhor do Bonfim, dos encantos da baiana, dos turbantes de seda, dos balangandãs e saias rodadas, enfim que esclarecesse o enigma que corre mundo e dissesse para os presentes o que é que baiana tem. Boa pessoa, fairplay de carteirinha, ela sorrindo, respondeu: “O que a baiana tem é um segredinho que não conta pra ninguém”. E a segunda, por ocasião do almoço de despedida em minha casa. No momento em que estávamos todos sentados à mesa, antes que fosse servido as iguarias, Benildes Mendonça, esposa do Machado, com delicadeza pois um pires com xerém em frente a Pinto Paiva e disse, perdão, mas essa é a comida de Pinto aqui no Ceará.

O autor: Pereira Oliveira, aposentado do Banco do Brasil, foi gerente da agência de Açu no final dos anos 1960


quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

XADREZ NA IBIAPABA, 1991

ABERTO DA IBIAPABA
  JANEIRO, 1991
Vitória de Silvio Lucena

O 1º Torneio Aberto Maciço da Ibiapaba, realizado dias 12 e 13 de janeiro de 1991, no Serra Grande Hotel na cidade de Tianguá, contou com a participação de 41 enxadristas. A competição disputada em 7 rodadas pelo sistema de emparceiramento suíço, no ritmo de 30 minutos nocaute foi vencida por Sílvio Lucena. O torneio contou com o apoio da Polícia Militar do Ceará, Prefeitura de Tianguá e da Federação Cearense de Xadrez.


Classificação
Pontos
01º
Sílvio Lucena
6,5
02º
Licínio Correa
6,0
03º
Marcelo Cunha
5,5
04º
André Capiberibe
5,0
05º
Nilo Sales
5,0

1º Lugar Silvio Lucena

3º Lugar Marcelo Cunha


Fonte: Coluna Xadrez, de Fernando Luiz, do Jornal O POVO de Fortaleza-CE. 27/janeiro/1991.